SEXTA-FEIRA EM SAMPA


Cl�lia Romano 

 

 

Os dias passam, semanas voam,
� Sexta-feira de novo
e a cidade ruge, ao longe.

Escuto-a ronronando pela noite
e finjo que acredito
no gato adormecido.

Finjo daqui de minha cama,
que n�o percebo o tigre,
as pr�sas sujas de sangue
de entranhas.

Chacinas se planejam
nas mentes assassinas,
nas famintas bocas
de dentes cariados.

A droga corre solta,
como as oportunidades de meia hora.
� aproveitar o momento
do jogo de dados,
quem perder...
perde o feriado!

 

 



 

Mande esta p�gina aos seus amigos! Basta clicar uma s� vez!



 

Atlas

A Villa-Lobos

I.M.L.

Chove

Sexta-feira em Sampa