NOVA ERA

 

Bruno Kampel

 

 

Saber�o os herdeiros do novo tempo
suar de ang�stia
   chorar de ternura
      tocar olhando
         dizer calando?

Poder�o os inquilinos do novo s�culo
morrer de amor e renascer
   pedir perd�o por n�o saber
      tender a m�o sem exigir
         gritar verdades sem temor?

Descobrir� o mil�nio entrante
que herda car�cias impotentes
   promessas incumpridas
      mentiras verdadeiras
         e instantes decisivos?

Querer�o os dias futuros
escancarar a porta � esperan�a
ler o testamento do passado
e entender, e entender, e entender?...

J� saberemos quanto saber� o mil�nio 
j� veremos o que dir�o seus anos
que far�o seus filhos
 e suas m�quinas
      e seus l�deres 
   e suas bombas
e seus hinos.

J� teremos tempo de saber
se o que sabe tem gosto de futuro
se o que diz ensina o caminho
se o que oferece vale o seu pre�o.

As respostas vir�o cravadas
no horizonte cibern�tico
no firmamento  intern�utico
na ignor�ncia terap�utica
ocultando o essencial
                          do vital
                     do letal 
                do fatal.

Veremos o que queiram?
Faremos o que digam?
Seremos migalhas errantes
sobre a toalha do tempo?...

 

 

 


Procura pelo nome do autor, ou
pelo t�tulo, ou por uma palavra avulsa:

 



Manda esta p�gina a um amigo
  e-mail do amigo:


 



Poema de Amor Noite em claro Nova era
O convite  Amor virtual Insone
Promessa Poetando Ontem
Solitude Sim! Ela 
Mulher Metamorfose   Amanhecer  
Saudade Senhora Amanh�