Poetando

 

 Bruno Kampel


Trato de subir pelas paredes de um poema
porém um calafrio se atravessa nas estrofes
e suando pelas rimas e seus versos
amarro a insônia nos acordes do silêncio
e como um anjo sobrevôo o meu cansaço
aparando as cáusticas arestas das perguntas
que a realidade injeta para sempre
nas desinspiradas artérias do presente
enquanto uma insólita esperança
estaciona aos pés do travesseiro
recitando o seu discurso em prosa e verso.

 

 


Procura pelo nome do autor, ou
pelo título, ou por uma palavra avulsa:

 



Poema de Amor Noite em claro Nova era
O convite  Amor virtual Insone
Promessa Poetando Ontem
Solitude Sim! Ela 
Mulher Metamorfose   Amanhecer  
Saudade Senhora Amanhã